Decoração com cara de”casa da vó”

Olá, pessoas queridas…Saudade de vocês!

E por falar em saudade…

Quando era criança, lembro que nada era jogado fora…Nada, mesmo!

Tava aqui lembrandof62ed5a5-3cd5-4535-b02a-bc4c5f8f7402_51de32bc-148b-4d3c-8b6d-352b9283361b_20130916021841_mae_anos50 e…acho que nem passava caminhão do lixo na cidade onde morava? Não morava no mato e nem sou tão velha assim.. Nasci em 1971, no interior do Rio Grande do Sul, em  Butiá,mais precisamente

Tudo tinha uma reutilização, tudo era aproveitado e reaproveitado, de alguma forma, nem restos de comida se jogava fora, ia para as galinhas, porcos, cabritas, etc….

Se contar pra vocês que nunca compramos frutas no mercado vocês acreditariam? Tinha tudo no quintal de casa!

Lembranças de infância…

Lembro de tapetes espalhados pela casa feitos com saquinhos plástico de leite (naquela época acho que nem havia o “tetrapack – não que eu lembre,  ou tenha usado!) .

As latinhas e os potinhos  ganhavam tampas decoradas em crochê ou tecido, garrafas viravam vasos, sacas de farinha, depois de alvejadas, viravam toalhas de mesa,retalhos viravam colchas e tudo tinha um colorido muito especial.

fonte: http://vaiqueficalegal.com.br/tag/casa-de-vo/

Hoje em dia, chamamos isso de “Movimento Slow”  ou  consumo lento, naqueles tempos, era por necessidade, mesmo, acho que ninguém tinha muita consciência ecológica, aposto que nossos avós e bisavós nem imaginavam  que as coisas poderiam ficar desse jeito:efeito estufa, el niño…Minha avó até alertava: “Olha, do jeito que o homem tá inventando coisa, o inverno vai virar verão e o verão vai virar inverno!” – Isso ela bem que acertou!

Continuar lendo